Como escolher a melhor vitamina c

A Vitamina C é um dos ativos mais procurados da skincare. E tão vastos quanto seus benefícios para a pele, são as possibilidades no mercado. Então como escolher? De acordo com a concentração? Se ela é pura? A embalagem influencia?

O Papo de Estética montou uma lista com 07 cuidados que você deve tomar antes de escolher a Vitamina C para o uso na clínica e para a home care da sua cliente!

Vem com a gente.

O que é a Vitamina C?

Falou em Vitamina C, a gente pensa logo na imagem de uma laranja. E olha que esta nem é a fruta com maior teor de vitamina C (como a acerola, o caju, o limão, o mamão e até o morango). Mas, quando falamos de cuidados com a pele, apenas a ingestão dessas frutas pode não ser o suficiente. É aí que entram os cosméticos para uso tópico.

vitamina c não é apenas laranja

Enquanto ativo, a Vitamina C tem importantes funções na pele – que fazem com que seu uso tópico seja excelente para tratamentos de rejuvenescimento, anti-aging, manchas na pele (inclusive o melasma) e olheiras:

  • É antioxidante e combate os radicais livres que aceleram o envelhecimento;
  • É clareadora, pois inibe a tieosinase – enzima que age na produção de melanina da pele;
  • Tem ação anti-inflamatória;
  • Age diretamente nos fibroblastos e estimula a produção de colágeno tipo 1 (pois inibe a oxidação do ferro e, consequentemente, a oxidação as enzimas lisil e prolil hidroxilase – que são férricas e parte da síntese do colágeno);
  • Potencializa o efeito do protetor solar!

Mas, claro, não é qualquer Vitamina C que vai conseguir entregar todos estes benefícios. E, por isso, é fundamental saber escolher entre tantas opções no mercado. E não só para a clínica: para os cuidados home care também.

Então, aqui vão 7 dicas de como escolher a melhor Vitamina C:

#1. A forma da Vitamina C

Ou seja: como ela será encontrada na fórmula do seu cosmético.

Estudos comprovam que o “ácido I-ascórbico” é a sua forma mais pura. Mas também oxida muito rapidamente. Ou seja: ao entrar em contato com a luz e o ar, perde suas propriedades e não cumpre o objetivo do cosmético.

Dessa forma, o melhor é usar derivados desse ácido – como o “Palmitato de Ascorbila”. Esta é umas das suas formas mais estáveis, que mantém todos os benefícios da Vitamina C e tem mais tempo antes de oxidar quando entra em contato com o meio.

Aplicando Vitamina C

#2. O problema da oxidação

Como falamos, a Vitamina C é um ativo que se oxida muito fácil. E – para que isso não aconteça antes que ele entregue as propriedades para a pele, dois cuidados tomados pelas empresas que desenvolvem cosméticos são muito importantes: a forma (como falamos antes) e a nano tecnologia.

Fórmulas que usam a Vitamina C nanoencapsuladas conseguem melhores resultados, pois: mantém o ativo mais estável e mais protegido – para chegar à pele com todos os benefícios “originais”.

#3. A concentração

Se esse fosse um TOP10 mitos da Vitamina C – este seria o #1. Isso porque muita gente tem a ideia de que a concentração é o que mais importa e busca porcentagens acima de 30%.

Na realidade, estudos comprovam que concentrações em torno de 10% já possuem resultados e que teores acima dos 25% não são absorvidos pela pele.

#4. Associação com outros ativos

Outro grande mito é de que o melhor cosmético com Vitamina C é aquele que tem apenas o ativo puro.

Ao contrário disso, a associação de outros ativos pode potencializar ainda mais a ação da Vitamina C – além de agregar ainda mais benefícios aos cuidados com a pele.

O Ácido hialurônico, por exemplo, é muito bem-vindo na fórmula, pois ajuda na hidratação da pele e em um efeito iluminado.

O Nano Resveratrol é outro exemplo de ativo que deve ser procurado nas fórmulas, pois age como antioxidante e anti-inflamatório – complementando a ação da Vitamina C.

Vitamina C em embalagem de pump para não oxidar

#5. A embalagem

Está liberado julgar a Vitamina C pela capa. Ou pela embalagem.

Lembra quando falamos que este é um ativo que se oxida muito rápido quando entra em contato com o ar e a luz? Então: embalagens que expõe o conteúdo (como as que a tampa sai) não são a melhor opção.

Opte por embalagens em pump (que não deixam o produto em contato com o ar) e vale lembrar as clientes de mantê-las sempre fora do sol e de locais úmidos.

#6. Sérum

Não é que a concentração em creme não seja boa. Ela é! Mas, principalmente quando falamos de uso profissional – em que um mesmo produto deve ser usado em diferentes tipos de pele – o sérum pode ser a melhor opção.

Isso porque agrada todos os tipos de pele e clientes com pele oleosa ou mista não terão problemas em usá-la.

#7. Custo-benefício

Produtos que rendem mais, servem para diferentes tratamentos (como microagulhamento e peelings) e têm opções cabine e home care podem ser as melhores opções também.

E mais: empresas com programas de fidelidade para profissionais ou com bons programas de relacionamento também saem na frente.

Indicação de produto

Como dissemos, existem muitas marcas de Vitamina C no mercado. Mas, uma que se encaixa em todos estes requisitos é a Ecco’s Cosméticos e seu Nano Vita C.

Nano Vita C - Vitamina C da Eccos Cosméticos

Ele possui o Palmito de Ascorbila nanoencapsulado à 25%, além de ativos como o Nano Resveratrol, o Ácido Hialurônico e Fatores de Crescimento para diferentes tipos de tratamento.

Com base hipoalergênica, o Nano Vita C não usa parabenos, parafinas ou liberadores de formol e nenhum óleo mineral na composição.

Sua embalagem profissional (em pump) rende mais – cerca de 60 aplicações, e também possui uma versão para home care.

Já falamos que ele é em formato de sérum ultra concentrado?

E aí, gostou de saber mais sobre a Vitamina C? Se quiser saber mais sobre outros ativos importantes em dermocosméticos, clique aqui.

Não deixe de seguir a RentalMed nas redes sociais – porque é por lá que postamos todas as novidades que acontecem por aqui, além de promoções em cosméticos e aparelhos estéticos.

Facebook Comments