epilação funciona

A Epilação (ou depilação definitiva, como é mais conhecida) é um dos procedimentos mais procurados nas clínicas de estética do país. Por isso mesmo existem muitas dúvidas em relação a sua prática clínica.

O Papo de Estética escolheu 06 destas dúvidas e perguntou ao professor Ildo Teixeira: é mito ou verdade?

Vem conferir com a gente:

#1. Não dá para fazer fotodepilação em fototipos altos

MITO.

É possível fazer fotodepilação em todos os fototipos de pele. Mas é verdade que os fototipos V e VI apresentam mais riscos de intercorrências e uma dificuldade maior nos resultados.

Estas dificuldades têm origem na quantidade de melanina presente nestes fototipos de pele e vamos te explicar por quê.

Para fazer a fotodepilação é necessário aplicar uma grande quantidade de energia, com um comprimento de onda alto que tenha a melanina como cromóforo alvo e com um tempo de resfriamento não muito grande. Tudo isso com a finalidade de atingir a melanina presente na base do folículo piloso – a fim de queimá-la.

Quando se tem uma pele com muita presença de melanina, esta energia é capturada ao máximo e mantida superficialmente – fazendo com que nem a energia consiga chegar ao folículo piloso em grande quantidade, nem a pele seja capaz de suportar sem queimar e/ou hiperpigmentar.

Desta forma, para tratar fototipos mais altos é preciso usar energias mais baixas, comprimentos de ondas maiores e um tempo de relaxamento térmico também maior – o que a deixa mais segura, mas potencialmente menos eficaz.

Assim, a fotodepilação funciona em peles de fototipos altos. Mas é um processo mais difícil, mais delicado e que requer mais experiência e habilidade do profissional.

fotodepilação em fototipos altos

#2. Epilação não deve ser feita no verão

MITO.

O que é contraindicado é que o cliente esteja bronzeado (natural ou artificialmente) na hora da epilação.

Então a sugestão é que se você mora em um lugar que tem períodos claros de verão e inverno, deixe para aplicar as sessões de fotodepilação (ou mesmo de epilação a laser) em épocas mais friasem que a exposição ao sol é menor.

Mas, se não é este o caso, é possível fazer a epilação de forma segura desde que seu cliente siga as recomendações corretamente.

Uma dica é criar um termo de responsabilidade para que ele assine no momento de contratar as sessões, onde você deixará claro que ele não deve se expor ao sol pelo menos 20 dias antes das sessões e em até 10 dias após o tratamento. Além disso, é importante alertar os riscos que esta exposição pode trazer nesse mesmo documento.

Dessa forma, você alerta seu cliente e, ao mesmo tempo, se protege.

#3. O Laser é mais eficaz que o LIP na epilação

DEPENDE.

A base teórica nos diz que existem duas características que fazem com que o laser seja mais eficaz na epilação:

A colimação (concentração dos feixes de luz em um único ponto); e

A coerência (com todos os feixes emitidos ao mesmo tempo).

Neste mesmo sentido, a teoria mostra que a Luz Intensa Pulsada tem mais facilidade em apresentar resultados no rejuvenescimento e no clareamento de manchas, por exemplo.

No entanto, que vai determinar se uma tecnologia vai dar mais resultado que a outra é a prática do profissional. É possível atingir bons resultados com os dois: o laser e a luz intensa pulsada.

fiber evo laser de diodo para depilação a laser

#4. Laser de diodo auxilia no clareamento

VERDADE.

Porém esta não é uma indicação da tecnologia.

A função principal do laser de diodo é a epilação. Mas, durante este tratamento, geralmente ele acaba clareando a região também.

No entanto, se o tratamento é para clarear manchas, o laser não deve ser a escolha.

Primeiro, porque existem riscos de hiperpigmentação – o que geraria um resultado oposto ao que se busca.

Depois, porque existem outros tratamentos mais eficazes e mais indicados – como o próprio LIP.

#5. Pode fazer epilação a laser em vitiligo, se ele estiver desativado

MITO.

O vitiligo é uma contraindicação do tratamento com laser (e com luz pulsada também) mesmo se desativado.

Isso porque o Vitiligo é uma doença autoimune que pode ser desencadeada por qualquer processo inflamatório – gerado por ambos os tratamentos.

#6. Pode usar pomada anestésica antes do laser

É RELATIVO.

A questão de poder usar ou não é complicada. Depende da prática e da preferência de cada profissional.

Pode usar? Sim. Mas eu não indico.

O procedimento com laser requer o direcionamento do cliente quanto à dor: para que você saiba o qual é o limite suportado pelo cliente e qual é o limite suportado pela pele em questão.

Se ele não tem essa sensibilidade ou se tem a sensibilidade comprometida pelo uso de anestésico, pode ser que o laser esteja muito forte para a pele e acabe causando queimaduras na pele.

Assim, é melhor que se mantenha o laser em um nível de tolerância a dor entre 6 e 7 (tolerável para o paciente e eficaz para o tratamento) sem a necessidade do uso de anestésico.

Fotodelipação x depilação a laser
Diagram showing pain scale level with different colors illustration

Então pode ser utilizado, mas não é aconselhável.

E aí, gostou do conteúdo? Quer ver mais “Mitos e Verdades” por aqui? Conte suas dúvidas nos comentários.

Se quiser ficar por dentro de tudo o que acontece por aqui, siga a RentalMed nas redes sociais! É por lá que contamos todas as novidades. (:

Facebook Comments