epilação e laser de diodo

O professor Ildo Teixeira está de volta ao Papo de Estética para mais um “Me ajuda, professor” – quadro em que ele responde as principais dúvidas das seguidoras da RentalMed. O assunto de hoje é epilação e laser de diodo.

Se chega uma cliente com os braços tatuados querendo epilar a área: você faria a remoção dos pelos sob a tatuagem? Será que pode?

E qual o melhor: Laser de diodo ou Laser Alexandrite?

Vem com a gente que o professor Ildo Teixeira vai te contar!

#1. Aplicar epilação em áreas tatuadas pode estragar a tatuagem?

Sim. Aliás, é bem provável que vá detonar a tatuagem – e causar queimaduras na área por causa da pigmentação.

Então, quando você for aplicar a epilação em uma cliente que tenha tatuagem, esta área deve ser evitada.

Uma dica é aplicar a pomada Hipoglós sobre toda a região da tatuagem antes do procedimento (com uma camada generosa mesmo). Aliás – é interessante que se aplique a pomada além das bordas da tatuagem para proteger bem o local.

Com isso, se você fizer um disparo acidental na área da tatuagem – o local estará mais protegido.

Mas por que o Hipoglós? Porque ele tem uma pastosidade adequada, protege o local, reflete bastante e tem um baixo custo.

Então: não pode fazer epilação em cima da tatuagem. Vai queimar e dar bolhas feias.

#2. Pode aplicar laser de diodo em quem tem melasma?

Poder, pode. Mas o cliente tem que estar muito ciente de que este tratamento pode acabar piorando o quadro do melasma.

A base aí é entender o que incomoda mais o paciente: os pelos ou o melasma!?

Se forem os pelos, eu aplicaria. Porque este é um tratamento por um tempo limitado que, após algumas sessões, resolve o problema dos pelos. Já o melasma é um distúrbio que exige acompanhamento a vida toda – mas que tem outros tratamentos que reduzem.

De qualquer forma, se for fazer é importante mesmo que o cliente saiba que pode irritar o melasma e piorar o quadro (pelo menos, temporariamente).

melasma e epilação

#3.  Laser de diodo é melhor que laser alexandrite?

Esta é uma comparação complicada –  precisaríamos de um estudo comparativo entre os dois para dizer que um é, efetivamente, melhor que o outro.

Mas o laser de diodo hoje em dia é o de menor custo para os esteticistas e com maior investimento tecnológico das fábricas.

Em resumo: é difícil responder, mas eu apostaria no laser de diodo hoje por causa dessas questões.

O laser de diodo é definitivo? Não volta mais o pelo?

O pelo queimado durante o tratamento não volta. Mas há sempre uma grande chance de, ao longo da vida, novos folículos pilosos serem gerados pelo organismo – ainda que em menor quantidade.

O pelo tem a função de auxiliar a saída do sebo do nosso organismo – que, por sua vez, vai participar da hidratação da pele. Então alterações hormonais e estímulos variados ao longo da vida vão gerar o crescimento desses novos folículos pilosos.

O que a gente faz através dos tratamentos com laser de diodo é reduzir muito a quantidade de pelo ou retirá-lo quase totalmente. Em alguns casos, o cliente fica apenas com os chamados pelos velosos (aqueles mais finos).

Então os pelos retirados pelo Laser não voltam mais. Mas eu posso ter a formação de novos folículos pilosos durante a vida. Agora, uma vez que você fez o laser de diodo, vai reduzir muito e resolver o problema da sua cliente.

E aí, gostou do “Me ajuda, professor” de hoje? Também tem dúvidas sobre assuntos da estética? Então deixa para a gente aqui nos comentários, que o prof. Ildo Responde!

Perdeu as respostas das outras edições? Clique aqui e confira!

Ah! E se ainda não segue a RentalMed nas redes sociais, siga agora 🙂 É por lá que divulgamos todas as novidades, lançamentos e promoções!

Facebook Comments