Modo contínuo ou pulsado

O Ultrassom de 3MHz (ou Ultrassom de Alta Potência, como também é conhecido)  é bastante utilizado na área da estética, pois possui inúmeras indicações como, por exemplo, para os tratamentos de gordura localizada, celulite, fibroses e aderências. Mas tem uma configuração bem específica deste tipo de ultrassom que faz toda a diferença nos resultados alcançados em cada indicação: o modo de emissão.

Quer saber quando utilizar o modo contínuo ou pulsado?

O Papo de Estética vai te explicar. Vem com a gente!

O Ultrassom de Alta Potência

Frequência do Ultrassom

O Ultrassom é um aparelho estético que trabalha por emissão de ondas sonoras. Antes de falarmos sobre os modos, vamos abordar sobre a frequência dessas ondas ultrassônicas: que podem variar – sendo as mais utilizadas de 1MHz, 3MHz e 5MHz.

E como escolher entre elas? Quanto maior for à frequência, maior também será a absorção e menor será a profundidade de penetração. Dessa forma, 5MHz geralmente são utilizados para tratamentos faciais, e 3MHz para tratamentos estéticos, que querem chegar a problemas estéticos mais próximos da pele. No entanto, se o intuito for tratar lesões mais profundas, como músculos e tendões – a frequência utilizada gira em torno dos 1MHz.

Mecanismos de ação

Sendo assim, o Ultrassom de Alta Potência têm alguns mecanismos de ação:

  • O efeito mecânico: fazem a cavitação, a indução da lipólise (rota de eliminação de gordura) e a fonoforese (aumento da capacidade de permeação transdérmica de ativos);
  • Efeito Químico: liberação de radicais livres e destruição dos adipócitos de maneira seletiva; modificação dos feixes de colágeno, estímulo a apoptose adipocitária.

Além disso, existem outros fatores que fazem com que o ultrassom produza diferentes efeitos fisiológicos: os modos de emissão da onda.

Emissão de Onda

Como dissemos anteriormente, o ultrassom emite ondas sônicas inaudíveis que estimulam o tecido biológico gerando uma série de efeitos. Dessa forma, as emissões podem ser feitas de modo contínuo ou pulsado.

Modo contínuo

O ultrassom em modo contínuo emitem ondas sonoras durante toda a aplicação, ou seja, sem pausas. Devido às vibrações de partículas que geram um atrito entre as células, ele produz um efeito térmico (promove o aquecimento dos tecidos) que altera o metabolismo e permeabilidade das células.

Modo pulsado

O modo pulsado emite as ondas do ultrassom de forma interrupta, com pequenas pausas entre o período de emissão. Pois as ondas podem estar a 5%, 10% ou 20% do tempo pulsando dependendo do equipamento.

Decorrente do intervalo de transmissão das ondas, o calor do tecido é dissipado – não sendo produzido o aquecimento das células. Assim, o efeito produzido por esse modo de ultrassom é o atérmico.

Indicações

Indicações do ultrassom modo contínuo ou pulsado

O Ultrassom de Alta Potência em si, tem diversas indicações. Mas cada uma pode ter melhores resultados de acordo com o modo de emissão escolhido: contínuo ou pulsado.

Utilize o modo contínuo quando quiser obter um efeito térmico. Exemplos de tratamentos com melhores resultados com este modo são: tratamento de lesões crônicas, remodelação tecidual, gordura localizada e contorno corporal.   

Porém, se o intuito for usar o US sem gerar aquecimento nos tecidos, o modo pulsado será o escolhido. Exemplos, neste caso, são: a celulite inflamatória (onde um aquecimento poderia piorar o caso), e o pós-operatório.

Gostou de saber das diferenças entre os usos dos modos contínuo ou pulsado do Ultrassom? Aqui têm outros posts sobre ultrassom que podem te interessar.

Ah não se esqueça de nos acompanhar nas redes sociais porque é por lá que compartilhamos todas as novidades e promoções que acontecem por aqui!

Até a próxima! 😉💙

Facebook Comments