Lipólise e lipogênese

Você sabe a diferença entre lipólise e lipogênese? E qual a diferença elas fazem nos tratamentos estéticos (principalmente de gordura localizada)?

Aqui vai um spoiler: o sucesso do seu resultado depende muito desses dois processos. Vem entender tudo sobre o tema no Papo de Estética de hoje!

Vamos lá?

Lipogênese, o que é?

Para entender como funciona a lipólise é necessário dar alguns passos para trás e compreender o processo de transformação dos alimentos em gordura no corpo, justamente o que chamamos de lipogênese.

Dessa forma, a lipogênese está diretamente ligada à alimentação (principalmente de gordura e carboidrato) e ocorre quando ingerimos mais alimentos do que gastamos em energia.

Assim, este processo transforma esse excesso de energia em gordura – como uma reserva energética de longo prazo.

O processo de lipogênese

Processo de lipogênese

Funciona assim: quando eu falo em lipogênese, eu estou falando na produção de triglicerídeos. Os alimentos são quebrados pelo processo de digestão e – quando minha célula tiver energia demais sendo consumida desnecessariamente, os ácidos graxos livres e a glicose serão estocados (por exemplo, lá nos adipócitos – as células de gordura).

Mas o adipócito não estoca ácido graxo livre e glicerol: ele estoca triglicerídeos. E o processo de conversão em triglicerídeos é o que chamamos de lipogênese.

Então: nesse processo é quando surge a famosa gordurinha localizada e, para eliminá-la, a necessidade de ativar a lipólise – lipo (gordura) lise (quebra), ou seja, quebra da gordura.

Lipólise, o que é?

Como dissemos, a lipólise é justamente ao contrário da lipogênese – ou seja: o processo de quebra desses triglicerídeos de volta em ácido graxo livre e glicerol para a posterior eliminação pelo corpo.

Assim, a lipólise ocorre quando os alimentos ingeridos fornecem menos energia que o necessário para as necessidades metabólicas – sendo necessário resgatar as reservas estocadas.

De tal forma, a lipólise é o processo que usa a gordura armazenada como fonte de energia.

Mas – quando falamos de eliminação de gordura – há um segundo momento após a lipólise que é a utilização dessa energia liberada. Pense o seguinte: antes do processo de lipogênese, há uma produção excessiva de energia (pela alimentação).

Após o processo de lipólise, é necessário que se induza a utilização dessa energia (de diferentes formas, como veremos mais tarde).

Lipólise e lipogênese

Então, se lipólise e lipogênese são opostos – elas não podem ocorrer ao mesmo tempo. Isso quer dizer que não adianta induzir a lipólise no tratamento estético, se a cliente continuar a induzir a lipogênese depois.

Se o seu tratamento não está dando resultado – pode ser que esse seja o motivo.

Tratamentos

A lipólise então pode ser entendida como uma das vias de eliminação de gordura e pode ser desencadeada de diversas formas: a natural (leia-se atividade física ou jejum) ou a induzida (através de tratamentos estéticos como o ultrassom e as terapias combinadas).

Porém, algo é unânime quando o assunto é lipólise: precisar haver uma combinação desse procedimento com outro que gaste a energia liberada (para que não haja um efeito rebote).

Assim, após uma sessão de Ultrassom, por exemplo, você pode orientar a atividade física nas primeiras 48h ou associar o tratamento com plataformas vibratórias.

Além disso, ativar a lipólise e inibir a lipogênese também é possível através da cosmetologia, que é muito bem-vinda e pode ser uma excelente aliada no tratamento. Para isso, a dica é a utilização de ativos nanossomados.

Lipólise natural

O que é o ativo nanosomado?

É preciso entender o que é nanosomado para descobrir a importância do ativo que você utiliza em seus tratamentos.

Nano é um prefixo utilizado para referir-se a apenas uma parte em um bilhão. Por exemplo: em uma grama haverá bilhões de nanopartículas. Essas nanopartículas fazem com que os ativos sejam entregues de forma mais íntegra nos tecidos.

Sendo assim, o ativo consegue permear com facilidade para dentro das células alvo.

Ativo nanosomado

Cosméticos e ativos para auxiliarem na indução de lipólise

# 1. Nano Contour  Gel

  • Cafeína biovetorizada – É uma cafeína forte que age para a liberação da enzima lipase hormônio sensível.
  • Lipoxyn – Ativam receptores betas ao aumentar a temperatura no adipócito.
  • Oléo de pimenta negra – Aumenta a temperatura do local e ativa os hormônios adrenalina e noradrelania.

# 2. Nano Contour Slim

  • L-Carnitina – Responsável por conduzir os ácidos graxos livres até a metabolização.
  • Extrato glicerinado de laranja amarga – Lipolítico que estímula a produção de adrenalina e potencializa a lipólise.
  • Glicerinado de gengibre – Estímula produção de adrenalina.
  • Extrato glicerinado de chá verde – Lipolítico que também estimula a produção de adrenalina.

Gostou de saber mais sobre os processos de lipólise e lipogênese? Aqui têm outros posts que podem te interessar.

Ah não se esqueça de nos acompanhar nas redes sociais porque é por lá que compartilhamos todas as novidades que acontecem por aqui na RentalMed!

Até a próxima! 😉💙

Facebook Comments